2022 será um excelente ano para o Pilates!

2022 será um excelente ano para o Pilates!
Compartilhar

Tenha foco e disciplina para cumprir as metas estabelecidas para o novo ano  

Considerado o ano da retomada 2022 será de muito trabalho e foco. Por esse motivo muitos estúdios e instrutores autônomos fizeram um período de recesso mais curto do que o comum. 

Em meio a uma pandemia que trouxe mudanças sem precedentes e um último ano marcado pela incerteza, 2022 se inicia com uma programação de aulas  de pilates como nunca visto antes.  

É importante definir prioridades e metas, para que o ano não seja apenas corrido, mas também seja bem aproveitado e conclusivo. 

Aos praticantes de pilates é importante ter atenção, pois um grande perigo com as metas e resoluções é a falta do entendimento do que é possível. 

Definir resoluções inatingíveis só resultam em frustração, veja o exemplo citado pelas fisioterapeutas e proprietárias do FourFisio Pilates,  Isabele Leonel e Jully Felici.

“Pense em alguém que decidiu começar a se exercitar de forma intensa ou a fazer uma dieta radical. A primeira semana é ótima: os horários da malhação são cumpridos, os alimentos separados, tudo arrumado para a semana inteira; nas redes sociais as fotos recebendo curtidas de apoio e até despertando inveja.  

Porém, por serem excessivos, tanto os exercícios quanto a dieta não duram muito. Aquilo tudo deixa de ser bom para a saúde e mais ainda para o ego.

E aí vem aquela sensação de fracasso”, pontua as duas profissionais que durante os atendimentos fazem avaliações periódicas, acompanhamento dos atendimentos e direcionamento de metas de cada paciente.  

 

 

Embora o ano tenha começado mais cedo para as resoluções, é importante lembrar que acima de tudo o equilíbrio deve estar em primeiro lugar, praticar Pilates exige bons hábitos e paciência, portanto não se deixe levar pela frustração. Inicie o ano com a mente clara e mais realista, as resoluções não ocorrem da noite para o dia, controle a ansiedade e faça do seu ano um ano produtivo, mas sem exageros. 

Contribuiu para a pauta as fisioterapeutas Isabele Leonel  e Jully Felici. 


Compartilhar

Deixe um comentário