Organize toda a documentação dos seus alunos e facilite seu trabalho

Organize toda a documentação dos seus alunos e facilite seu trabalho

Preparar todos os documentos sobre o estado dos seus alunos é de grande importância para o andamento das suas aulas e garante que seus alunos estarão em constante evolução

 

Quando alguém chega no seu estúdio de Pilates, é muito importante que você faça alguns registros. Esses registros servem para você se organizar, obter os dados necessários para as aulas, evitar dores de cabeça administrativas e, principalmente, humanizar todo o processo de atendimento. Para fazer esses registros de maneira eficiente, você pode usar alguns formulários específicos, que tem diferentes objetivos, mas te auxiliarão a se cercar de todos os dados que seu aluno tem para oferecer.

Antes de tudo, você precisa descobrir se a pessoa chegou no seu estúdio de Pilates através de indicação médica, como é a maioria dos casos, ou se ele chegou por vontade própria. Se foi por indicação médica, você terá a necessidade de checar todos os exames realizados pela pessoa, afim de fazer a avaliação correta do caso e aplicar os exercícios apropriados para o caso em questão. Se não for por indicação médica, você já deve iniciar pela anamnese. Por isso, organize toda a documentação dos seus alunos e facilite seu trabalho.

O PAR-Q (sigla inglesa para Questionário de Prontidão para Atividade Física) e o termo de responsabilidade são os próximos documentos da lista. São importantes para te ajudar a conhecer seu novo aluno e auxiliá-lo a conhecer o próprio corpo.

Para evitar problemas com a organização de suas aulas e ter a certeza de que seus alunos estarão cientes de todos as obrigações contratuais, é necessário criar um regulamento interno. Esse regulamento deve conter todas as informações sobre seu estúdio e deve ter duas vias assinadas, sendo uma do estúdio e a outra do aluno. Veja alguns exemplos de informações que devem estar presentes no documento:

– Dias e horários de funcionamento;

– Planos de pagamento e valores;

– Férias;

– Folgas;

– Possibilidades de alteração de horários de aulas.

As informações de datas e faltas, precisam ser registradas e assinadas pelo professor e pelo aluno, ainda no início da aula. Ambas as informações serão inseridas no controle de frequência. Ainda na fase de matrícula do aluno, é bom ter um termo de ciência de horário, que cite a possível prorrogação, ou não, de aulas que foram desmarcadas. Nessa fase, você decide se isso terá um custo ou se a remarcação será feita gratuitamente. O principal benefício do uso do controle de frequência é que, tanto o aluno, quanto o professor, podem consultar as faltas e a assiduidade do aluno.

Apesar de existirem diferenças entre os métodos de cada profissional, tanto os profissionais da educação física, quanto da fisioterapia, devem fazer relatórios após cada aula. Este relatório pode ser utilizado para registrar a evolução, ou involução, do aluno ao longo das aulas. Além disso, saber o estado da saúde do aluno vai ajudar todo o processo e enriquecer muito as aulas.

Entre as atribuições do professor está o acompanhamento da situação dos alunos, mas por esta fase ser completamente subjetiva e dependente de uma auto análise do próprio aluno, o acompanhamento precisa ser feito através de análises perceptivas, funcionais, evolutivas e precisa conter as expectativas do aluno e do professor, em relação as aulas. O registro de como o aluno se vê e onde ele pretende chegar com o Pilates, é muito importante para ajudar no incentivo durante as aulas.

Para ajudar o professor com os exercícios que serão aplicados durante a aula, algumas escalas, como a EVA (Escala Viso-Analógica), podem ser usadas. O objetivo dessa tabela é ter uma “visualização da dor”, sendo possível usar uma escala que pode ser numérica, de cores, figuras, etc. Por exemplo: Se o aluno disser que fazer um movimento causa dor de nível 10, você pode questioná-lo se essa é a pior dor que ele já sentiu, mas é bem provável que ele diminua o grau para 7 ou 8. Use esses dados para saber a intensidade que deve ser utilizada no seu trabalho. Na fase das percepções funcionais, é interessante fazer uma projeção do que deve ser feito, com qual o objetivo e com qual frequência.

Com esses documentos, você terá muito mais facilidade para organizar seu estúdio, preparar suas aulas e avaliar seus alunos. Além de incentivar seus clientes a continuarem frequentando as aulas, é possível ajudar os médicos deles a alcançar os melhores diagnósticos.

Para mais dicas sobre gestão do seu estúdio de Pilates, visite o site da revista Negócio Pilates, clicando aqui.

Deixe um comentário